Coordenadora de Psicologia é eleita para o Conselho Nacional de Saúde

Marisa 1jpg

Publicado em: 25, dezembro/2021

A coordenadora do Curso de Psicologia, da Unifacc Várzea Grande, professora-mestre Marisa Helena Alves, assumiu pela segunda vez, como representante do Conselho Federal de Psicologia (CFP), como membro-titular do Conselho Nacional de Saúde (CNS). A professora, como conselheira do CFP, coordena a Comissão Intersetorial de Saúde Mental (Cism/CNS).

 

Marisa Helena explicou que a renovação da gestão do CFP no CNS, agora no triênio 2021/2024, tem como objetivo contribuir para a construção de um Sistema Único de Saúde (SUS) de qualidade para todos, democrático e eficiente, “embora a gente saiba que os desafios para isso são enormes diante dos cortes nos gastos com a saúde por parte do Governo Federal”. 

 

Segundo a professora, o desafio de atuar no CNS é ainda maior em função da pandemia da Covid-19: “a  gente vê o agravamento da saúde da população em geral, principalmente da saúde mental. As condições políticas, sociais, o aumento do desemprego, a fome, tudo isso traz grandes impactos na saúde da população, então,  vai requerer muito empenho, muita luta, como já fizemos no triênio que termina agora”, avalia Marisa. 

 

O atual presidente do CNS, Fernando Pigatto, reeleito também para o próximo triênio,  falou sobre importância da  garantia de direitos, a defesa do SUS, a vida e a democracia e ressaltou que é preciso valorizar a história do Conselho, todas as pessoas que passaram e vão passar por esse espaço de controle social.  

 

O CNS renovou aproximadamente 30% do quadro de conselheiras(os). As entidades e movimentos sociais eleitos representarão os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), as(os) profissionais de saúde (incluindo a comunidade científica), prestadores de serviços e entidades empresariais com atividades na área de saúde. O CNS é formado por 48 conselheiros(as) titulares e seus respectivos primeiros e segundos suplentes.

 

5ª Conferência Nacional de Saúde Mental

Além disso, a conselheira reconhece a importância de estar mais uma vez à frente dessa representação do CNS,  já que hoje o CFP coordena a realização da 5ª Conferência Nacional de Saúde Mental, que ocorrerá em 2022. “A Conferência é um marco. Faz  mais de 10 anos que a gente não tem uma Conferência de Saúde Mental, e,  considerando que nos últimos anos a política de saúde mental sofreu vários ataques e tentativas de desmonte de tudo aquilo que foi construído com muita luta, através da Lei nº 10.216, da reforma psiquiátrica, esse é o momento”.  

 

“O nosso projeto de conferência tem como prioridade o cuidado em liberdade e a territorialidade do atendimento, então esses são os desafios que nós temos e também a certeza de que estamos construindo um SUS de qualidade”, conclui. 

 

Com CFP

 

|