Católica MT sedia Seminário Mulheres e Prisões

Publicado em: 29, agosto/2019
Autor: Álvaro Marinho

Entre os palestrantes estão padres, desembargadoras e juiz da Justiça estadual e defensores públicos

A Católica de Mato Grosso sedia amanhã e sábado, sexta-feira e sábado, 30 e 31 de agosto, respectivamente, o Seminário “Mulheres e Prisões, organizado pela Pastoral Carcerária do Regional Oeste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e Defensoria Pública do Estado.

O objetivo do evento é conhecer a realidade das mulheres encarceradas em Mato Grosso e promover o diálogo entre instituições públicas, privadas e sociedade civil organizada, capazes de contribuir, de forma direta ou indireta, na busca por soluções para as dificuldades enfrentadas pelos diversos perfis de mulheres presentes no sistema prisional.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (Sesp), Mato Grosso possui, atualmente, 609 mulheres presas, sendo 63,22% provisórias e 36,78% condenadas, a aproximadamente 2/3 da população carcerária feminina não passou por julgamento. Índices oficiais que, na visão do secretário executivo do Regional Oeste 2, padre Reinaldo Braga Júnior, tornam urgente a discussão sobre o desencarceramento no Estado que pode, inclusive, diminuir os custos das unidades prisionais e permitir um trabalho mais sólido de ressocialização.

Diante desse cenário, justifica-se que, em 2019, a Pastoral Carcerária, conforme Ana Cláudia Pereira, coordenadora da Pastoral no Regional Oeste 2, inaugure os trabalhos com um olhar diferenciado para a questão do aprisionamento feminino em Mato Grosso e da busca de soluções que venham facilitar a reintegração social e a defesa da dignidade dessas mulheres como filhas de Deus e nossas irmãs.

Entre os palestrantes estão magistrados do Poder Judiciário de Mato Grosso, defensores públicos e religiosos. A desembargadora Maria Erotides Kneip, que está à frente da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Cemulher) do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, será a primeira palestrante, às 9h15, e vai falar sobre o tema: “Mulher e Cárcere: desafios da reinserção social”, com a defensora pública Rosana Leite como mediadora.

A desembargadora Maria Aparecida Ribeiro vai proferir a palestra sobre: “Aspectos positivos da reinserção de mulheres oriundas do Sistema Prisional à Sociedade”, às 9h45. O mediador será o defensor público Roberto Tadeu Vaz Curvo.

Em seguida, às 10h30, o juiz da Vara de Execução Penal de Cuiabá, Geraldo Fidélis, vai abordar o assunto: “Mulheres em situação de prisão: desafios e enfrentamentos para a
garantia de Direitos”, que terá como mediador o defensor público Roberto Tadeu Vaz Curvo. O seminário vai ocorrer na sexta-feira, das 8h às 11h30 e das 14h às 17h15, e no sábado, das 8h às 12h.

Eixos de discussões:

Eixo 1 – encarceramento feminino no Brasil e em Mato Grosso.

Eixo 2 – desafios da reintegração social de mulheres oriundas do Sistema Prisional.

Eixo 3 – combate à violência contra a mulher no âmbito do Sistema Prisional.

Eixo 4 – Realidade das profissionais atuantes no Sistema Prisional.