Quem Somos

A União das Faculdades Católicas de Mato Grosso (UNIFACC-MT) faz parte de um projeto de expansão, que nasceu a partir de uma celula mater, a Faculdade Católica de Mato Grosso (FACC-MT) - de início denominada Studium Eclesiástico Dom Aquino Corrêa (SEDAC), mantida pela pelas oito dioceses que formam a Associação Dom Aquino Corrêa (Adac), do Regional Oeste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) de Mato Grosso. A expansão abrange a aquisição da Faculdade Cuiabá (Fauc – Cuiabá), Faculdade Cândido Rondon (FCR – Cuiabá) e Faculdades Integradas Desembargador Sávio Brandão (Fausb – Várzea Grande). Juntas, representam hoje um universo de cerca de 1700 alunos, entre graduação e pós- graduação, com projeção de chegar a 2000 já em 2021.

A FACC-MT, que iniciou as atividades em 1999, com a intenção inicial de formar o clero católico do Regional Oeste 2, com o tempo ampliou e diversificou a oferta de ensino. E desde esse período havia um projeto de expansão local bem avançado, baseado no aumento da infraestrutura no campus no Bairro Cristo Rei, em Várzea Grande, onde fica a sede da faculdade. A ideia era abrigar, além das cinco graduações existentes, mais opções, entre as quais os cursos de Direito, Design de Moda e de Agronomia. A meta também era ampliar a FACC-MT para outras cidades mato-grossenses.

Em 2020, com possibilidades concretas de aquisição da Fauc, Fausb e FCR, a direção mudou de estratégia. Não mais investiria no aumento da infraestrutura do polo, mas na expansão para outros pontos dentro da região, ganhando assim mais celeridade. Além de estarem à venda, contou também na decisão o fato de serem instituições que demonstravam ter perfis que garantiriam a unidade da educação católica dentro do Estado idealizada pela direção da FACC-MT. Outro ponto fundamental desse planejamento, que garantiu a ampliação, é de que o projeto de expansão está em sintonia e alinhado com as preocupações e propostas do Sínodo da Amazônia e da Constituição Apostólica Veritatis Gaudium do papa Francisco.

De início, a UNIFACC-MT oferece 15 cursos de graduação e dezenas de cursos de especialização lato sensu em diversas áreas. A Instituição de Ensino Superior também chega no mercado com convênios internacionais com a Universidade de Salamanca e com a Faculdade de Granada, ambas na Espanha. No caso de Granada, por exemplo, o Curso de Teologia, em Várzea Grande, por meio da afiliação com a instituição espanhola, conquistou o Reconhecimento Pontifício pelo Vaticano, na Itália. E, com isso, quem se forma em Teologia pela UNIFACC-MT tem o diploma válido em unidades de ensino de países da União Europeia.

A UNIFACC-MT, a Católica de Mato Grosso, a partir de convênios firmados anteriormente pela FACC-MT, conta também com programas de mestrado e doutorado stricto sensu em Psicologia, Educação, Teologia, Filosofia, Ciências Sociais, Administração, Desing e Computação Aplicada. As instituições parceiras da Católica de Mato Grosso são a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), no Rio Grande do Sul (RS), e a Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ) Rio de Janeiro. E outra novidade da recém-criada UNIFACC-MT é a oferta de educação a distância (EaD) em parceria com a Universidade Católica de Brasília (UCB). O EaD UCB/UNIFACC-MT estará presente inicialmente em sete cidades: Cuiabá, Várzea Grande, Nova Mutum, Campo Verde, Sinop, Tangará da Serra e Sorriso.

Assim, Mato Grosso, seguindo uma tendência verificada nos grandes centros do país e nas principais cidades do mundo, que já possuem instituições de relevância e focadas na educação baseada em valores e princípios católicos, passa a contar com a União das Faculdades Católicas de Mato Grosso (UNIFACC-MT) para preparar futuros profissionais que atuaram com posição ética, cidadã e humanística em prol, especialmente, do desenvolvimento e crescimento do Estado.

Cronologia da história

 

A Faculdade Católica de Mato Grosso (FACC-MT), iniciou as atividades em 1999. A necessidade de se criar um centro católico de educação superior encontrou a justificativa primeiramente no impulso renovador provocado pelo Concílio Vaticano II e também pela iniciativa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, em estabelecer o Regional Oeste 2.

O centro católico de educação foi criado com a intenção inicial de formar o clero católico do Regional Oeste 2 da CNBB. É que os seminaristas do Estado de Mato Grosso eram todos enviados ao Seminário Inter-regional de Campo Grande (MS) para os estudos superiores de Filosofia e Teologia. Além da distância, o processo formativo em Filosofia e Teologia se dava em desconexão com a realidade, com o povo e com a cultura de Mato Grosso. A distância dificultava também o acompanhamento da formação dos futuros presbíteros pelos respectivos bispos. Os custos também ficavam muito elevados.

Às dificuldades locais junta-se o desejo, interesse e insistência da Santa Sé e do papa em particular, de que o Estado de Mato Grosso tivesse o próprio centro de formação do clero. Esse interesse era frequentemente expresso por meio da Nunciatura Apostólica no Brasil.

O desenvolvimento de Mato Grosso, principalmente dos municípios de Cuiabá e Várzea Grande, passou a oferecer melhor condição de ensino e pesquisa. E é também na região metropolitana da Capital que se encontrava o maior número de pessoas capacitadas e qualificadas para o exercício do magistério nos Cursos de Filosofia e Teologia. Por essas razões decidiu-se por implantar o Instituto (SEDAC) no município de Várzea Grande, região metropolitana da Capital do Estado. Foi a partir desse contexto que, no dia 11 de março de 1997, iniciaram-se as reuniões para se estruturar o instituto, que iniciou as atividades no ano de 1999, inicialmente no município de Cuiabá, na sede da CNBB – CENE, com o Curso de Filosofia, à época com o intuito de ser um curso propedêutico ou preparatório para o ingresso no Curso de Teologia. Após dois anos, em 2001, iniciou-se o funcionamento do Curso de Teologia, na modalidade de curso livre e eclesiástico.

Em 2008, iniciaram as discussões para credenciar a instituição junto ao órgão gestor da política de educação nacional, o Ministério da Educação e Cultura (MEC), deixando assim de administrar apenas cursos livres, para obter a certificação legal como Instituição de Ensino Superior. Para responder legalmente e dar sustentabilidade econômica, os bispos membros do Regional Oeste 2 fundaram a mantenedora denominada Associação Dom Aquino Corrêa (ADAC), pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com registro do estatuto em cartório da Comarca de Várzea Grande, sob número de registro n. 1.039, protocolo 64.156, de 23 de abril de 2009, e passou a desenvolver as atividades norteando-se pela legislação federal sobre a educação superior, pelo regimento interno, por normas internas emanadas dos órgãos próprios e pelo estatuto da mantenedora, na esfera das atribuições específicas. Nesse contexto, decidiu-se que o SEDAC passaria a usar o nome de fantasia: Faculdade Católica de Mato Grosso (FACC-MT).

Em 2013, com a proposta de abertura de novos cursos – Psicologia, Pedagogia e Processos Gerenciais - e de aprofundar o diálogo com a sociedade deu-se início as discussões em torno de um novo nome de fantasia. Em novembro de 2016 foi aprovado pelo Conselho Superior da Faculdade (Consup) o nome de Faculdade Católica de Mato Grosso (FACC-MT) e em fevereiro de 2017 foi aprovado pela Mantenedora, juntamente com nova identidade visual, por meio de brasão institucional. A mudança foi aprovada pelo MEC em setembro de 2017.

Nesse ciclo de planejamento, a Católica de Mato Grosso almeja ampliar as áreas de atuação e presença no Estado, propondo cursos em várias regiões e diversas áreas do conhecimento, atenta ao desenvolvimento e as demandas de cada lugar. Quer também contribuir com a formação de profissionais pautados por metodologias ativas e inovadoras que dialoguem com os cidadãos. Consciente de que a formação de profissionais de nível superior, as reestruturações institucionais da gestão pública, o uso de tecnologias modernas e não agressivas ao meio-ambiente e novos modos de interação econômica constituem alavancas seguras para a sustentabilidade do desenvolvimento socialmente referenciado de Mato Grosso.

A diversidade de ecossistemas e o posicionamento geográfico abrem um leque de oportunidades de investimentos na agricultura, indústria metal-mecânica, pecuária, agroindústria, turismo, infraestrutura, dentre outras. A despeito do crescimento econômico e competitividade agrícola, a região central do país defronta-se ainda com a necessidade premente de aumento da escolaridade média de sua população, de melhoria e consolidação da infraestrutura de transportes e saneamento, de redução das desigualdades sociais e regionais e de preservação ambiental, sob pena de comprometer a auto sustentabilidade econômico-social pretendida pela sociedade local.

Por fim, cientes de que nos dias atuais de crise e busca de superação é importante inovar, repensar, criar uma nova formulação dos vínculos entre educação, pessoas e sociedade, com possibilidade de orientar o trabalho teórico e as decisões políticas. Estes são os principais desafios que a instituição permanentemente lança para si. Em 17 anos de funcionamento com cursos livres e eclesiásticos o SEDAC formou 306 acadêmicos em Filosofia e 139 em Teologia, e os egressos acham-se inseridos nos mais distantes municípios, em escolas estaduais, municipais, particulares e outros ambientes educacionais em paróquias, capelas e nas diversas atividades pastorais e de administração da Igreja regional.

Em 2012, foi autorizado o Curso de Teologia e três anos depois, em 2015, recebeu a autorização para o funcionamento do Curso de Licenciatura em Filosofia. Recebeu autorização em 2016 para abertura dos Cursos de Psicologia e Pedagogia, e em 2017 a autorização do Curso Tecnólogo em Processos Gerenciais. Há também três cursos de pós-graduação lato sensu em andamento – Catequese, Educação Sistêmica Fenomenológica e Logoterapia – e uma série de outros em processo de elaboração. Desta forma, a Católica de Mato Grosso vai consolidando-se como um centro de referência na formação intelectual, dadas as condições sociais descritas que ainda perduram no Estado. A presença dos egressos em diversos espaços é uma referência para incentivar a população a buscar na educação e no conhecimento meios para transformar realidades e melhorar a qualidade de vida.

Nesse percurso a IES amadurece a missão de formar cidadãos por meio do ensino, prioritariamente, e da pesquisa e extensão, na perspectiva cristã-católica, capacitando- os cientifica, humana, cristã e tecnicamente para a promoção da inclusão social, da justiça e da solidariedade. E aproxima-se do horizonte de visão: ser referência regional no ensino, consolidando-se como uma instituição fomentadora de ideais e propostas coletivas, fundamentados na qualidade, na ética, no profissionalismo e na busca do crescimento individual e coletivo.