Mercado aquecido para tecnólogos em Processos Gerenciais

processos gerenciais

Publicado em: 4, dezembro/2019

Pesquisas mostram que há um grande número de empresas que acabam fechando suas portas, independentemente de mercado ou das oscilações da economia. Elas encerram suas atividades por problemas de gerenciamento e de administração, ou seja, pela falta de pessoas qualificadas e competentes para desempenhar esses importantes papéis. Trata-se, portanto, de um cenário com demanda crescente por profissionais especializados.

É o que tem feito com que as pessoas busquem cursos como o de Tecnologia em Processos Gerenciais, por exemplo. O professor Goro Onuki, da Faculdade Católica de Mato Grosso (FACC), explica que o profissional com essa formação desenvolve habilidades e competências para atuação nos ramos comercial, industrial ou de serviços, com uma visão geral das empresas, que podem ser pequenas, médias ou grandes, dos setores público ou privado.

Com base em tal conhecimento ele será capaz de desempenhar funções como as de gestão e implementação de processos estratégicos em negócios de qualquer porte; na análise e gestão organizacional de empresas; coordenar processos de tomada de decisão e aplicação de procedimentos de gestão estratégica; além de fazer o planejamento, desenvolvimento e implantação do processo de gestão nos níveis tático e estratégico.

Quer dizer, o curso forma profissionais cuja atuação tem um foco mais específico, o que o difere da graduação em Administração de Empresas, por exemplo. “É preciso lembrar que os focos do bacharelado e da graduação tecnológica são distintos. A graduação tecnológica é um tipo de graduação focada em um segmento específico. O profissional se especializa em uma determinada área, se aprofunda. Enquanto a graduação de Bacharelado é uma formação mais abrangente, com uma visão mais generalista”, compara.

Goro salienta que o ideal é vivenciar já no percurso acadêmico os cenários que poderão ser vistos dentro de empresa. A modalidade “Escola de Negócios”, mediada pelo conhecimento científico e, principalmente, pela realidade do mercado de trabalho, se mostra bastante interessante nesse sentido. A metodologia, segundo o professor, precisa fundamentar-se na interação aluno-professor, estimulando a participação ativa do acadêmico no processo de aprendizado. “O estudante torna-se agente do desenvolvimento de sua capacitação”, resume.

O professor destaca ainda como vantagem o tempo menor que precisa ser dispendido para obter a formação e assim poder ingressar no mercado ou até dar continuidade nos estudos. “O curso de tecnologia é um bom instrumento para quem quer se formar em menos tempo. A palavra-chave é especialização. Desde que aprovados e reconhecidos pelo Ministério da Educação, os cursos credenciam os formandos a atuar no mercado de trabalho e a seguir a carreira acadêmica sem problemas. Não há restrições quanto a fazer um mestrado, um doutorado”, exemplifica.

Além da vantagem de obter um diploma de nível superior em apenas dois anos, o curso de Tecnologia em Processos Gerenciais da FACC-MT, informa o professor Goro, apresenta um diferencial que pode ser determinante no posicionamento do profissional no mercado: a certificação intermediária a cada semestre. No primeiro semestre ele obtém a certificação de “Analista de Gestão”, no seguinte, de Analista de Recursos Humanos, seguido dos de Analista Financeiro e Analista de Marketing e Logística, respectivamente, no terceiro e quarto semestres.

No mais, complementa Goro, há uma recomendação que é válida para todos os profissionais: “manter-se bem informado, pois a obsolescência informacional é dinâmica no século 21”. Além das informações, um bom profissional deve reciclar os seus conhecimentos a todo momento. “E vale lembrar também que tudo isso só é possível com a utilização da tecnologia de informação”, finaliza o professor.